Atividades Gerais entre Núcleos

Novo método de avaliação energética de edificações com base em energia primária

Desde 2014, o Procel Edifica junto com o CB3E vêm desenvolvendo ações para a melhoria do atual método de avaliação do nível de eficiência energética de edificações comerciais, de serviços e públicas, bem como de edificações residenciais, no âmbito do convênio ECV DTP 001-2012, firmado entre a Eletrobras e a Universidade Federal de Santa Catarina.
 
Como principal motivador destas ações, destaca-se a melhoria do indicador de desempenho que visa auxiliar o consumidor na tomada de decisão no momento da escolha do seu imóvel. Atualmente, a etiquetagem de edificações classifica o desempenho energético das mesmas utilizando um indicador de consumo que, apesar de permitir a sua classificação de A a E, não fornece uma ideia de grandeza relacionada ao consumo real da edificação. Esta limitação não permite que a economia gerada por medidas de eficiência energética empregadas na mesma seja quantificada. 
 
Assim, a nova proposta para a avaliação de desempenho energético das edificações baseia-se no consumo de energia primária, e compara a edificação considerando suas características reais com a mesma edificação adotando-se características de referências, que equivalem à classe D de eficiência energética.
 
A opção por utilizar o consumo de energia primária como indicador de eficiência permite que tanto a energia elétrica, quanto a energia térmica, oriundas de diversas fontes, sejam contabilizadas (ex.: edificações que utilizam energia elétrica, a gás e solar). A nova etiqueta foi planejada para fornecer informações relativas ao consumo anual e mensal de energia primária por sistema final, além de trazer novas informações complementares como a quantificação das emissões de dióxido de carbono e o potencial de economia de água potável a partir de sistemas que promovem a redução de seu consumo.
 

Apresentações

 
DOCUMENTOS RELATIVOS AO MÉTODO COMERCIAL
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: Dezembro de 2017
 

Texto técnico completo

2- Edificações comerciais, de serviços e públicas

(última versão de dezembro/2017 com pequenas correções gramaticais)

Interface Web 

3- Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas clique aqui

(Atenção: recomendamos que antes de utilizar a interface web, todos os usuários atualizem a ferramenta pressionando "CTRL + F5" em seu navegador).

4- Tutorial para a utilização da interface web de Edificações Comerciais, de Serviços e Públicas

 
DOCUMENTOS RELATIVOS AO MÉTODO RESIDENCIAL
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: Outubro de 2018
 

Texto técnico completo

5- Edificações residenciais

(última versão: outubro de 2018)

Interface Web 

6- Edificações Residenciais: clique aqui 

(Atenção: recomendamos que antes de utilizar a interface web, todos os usuários atualizem a ferramenta pressionando "CTRL + F5" em seu navegador).

7- IDF com informações relativas ao manual de uso do objeto EMS

 
ATENÇÃO:
O manual de uso do objeto Energy Management System do programa EnergyPlus foi desenvolvido pelo Laboratório de Eficiência Energética em Edificações - LabEEE. O LabEEE não faz qualquer garantia, expressa ou implícita, ou assume qualquer responsabilidade legal ou responsabilidade pela exatidão dos componentes e suas propriedades térmicas aqui expostas.  Referência a qualquer produto comercial específico por nome comercial, marca registrada, fabricante ou, de outra forma, não necessariamente constituem ou implicam seu endosso, recomendação ou favorecimento por parte do LabEEE. O acesso e o uso do manual de uso do objeto Energy Management System do programa EnergyPlus impõem as seguintes obrigações: 1. O usuário concorda em creditar ao LabEEE em qualquer publicação que resulte da utilização do manual de uso do objeto Energy Management System; 2. No entanto, o nome do LabEEE não pode ser utilizado em nenhuma publicidade que implica endosso ou promoção de qualquer produto, serviços ou entidades comerciais. Referência para o Manual de uso do objeto Energy Management System do programa EnergyPlus: Melo, A.P.; Mazzaferro, L.; Eli, L.G.; Olinger, M.S.; Machado, R.M.S.;Lamberts, R. Manual de uso do objeto Energy Management System do programa EnergyPlus. Florianópolis: LabEEE, 2018. 8p.

 

Documentos complementares

9- Planilha A.IV - Temperaturas do ar externo para as diferentes cidades brasileiras

10- Planilha de cálculo do SPLV e CAG

11- Lista das 5.564 cidades do território brasileiro e seus respectivos grupos climáticos 

12- Relatório: fatores de conversão de energia térmica e elétrica

13- Relatório: grupos climáticos

14- Aplicação do novo método em uma edificação exemplo de tipologia hoteleira

15- Aplicação do novo método em uma edificação exemplo de tipologia escritório 

 

Referências

RACKES, A. Natural Comfort – a new early stage design tool. Building Science and Engineering Group, Drexel University, 2016.

RORIZ, R. Classificação de climas do Brasil – versão 3.0. ANTAC: Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. Grupo de Trabalho sobre Conforto Ambiental e Eficiência Energética de Edificações. São Carlos, SP. Março de 2014. 

 
Reunião CT - Agosto 2017

Apresentação - Método comercial. clique aqui

Apresentação - Método residencial. clique aqui

Apresentação - Inmetro. clique aqui

Ata da Reunião. clique aqui